Uma carta sobre compreensão e compaixão.


Confesso, as vezes não tenho sido tão compassivo com as pessoas como gostaria.

Muitos de nós experimentamos isso: julgar rapidamente as ações das pessoas, ficar frustrados com a forma como outras pessoas agem ou julgar pessoas que têm crenças diferentes.

A maioria de nós nem sequer percebe quando estamos fazendo isso. Achamos que estamos no direito de julgar os outros, como se fosse um aviso de precaução ou uma dica de momento, ou uma crítica construtiva, mas não percebemos a forma como isto pode chegar a quem falamos.

Neste texto, eu gostaria de falar sobre como ser mais compreensivo e depois como ser conscientemente compassivo em uma base diária. Claro, eu sou tão culpado de ser crítico e menos-que-compassivo como qualquer outra pessoa, então eu não quero dar a impressão de que eu estou acima de ninguém. Eu não estou! As vezes me considero arrogante, mas busco não ser.

Relatar isto é importante: quando estamos julgando, machucamos nossos relacionamentos com os outros, ficamos frustrados e as vezes infelizes. Podemos dissolver tudo isso, e ser mais feliz e amorosos com outras pessoas e nós mesmos.

As noções básicas de ser compreensivo.

Quando estamos nos sentindo frustrados com os outros, quando percebemos a nós mesmos julgar os outros ... podemos usar isso como um sinal de que é hora de tentar compreendê-los em seu lugar. 

Nós julgamos as pessoas o tempo todo:

  • Eles estão agindo mal, por isso estamos frustrados(zangados, chateados, "bolados"), com eles.
  • Eles comem de forma diferente do que nós, por isso acho que eles estão errados.
  • Eles vivem de forma diferente do que nós, por isso acho que eles são errados.
  • Eles têm diferentes pontos de vista políticos do que nós, por isso acho que eles estão iludidos.
  • Eles estão acima do peso, pobre, tem uma religião diferente, falam mal, se vestem mal, estão em seus telefones o tempo todo, tirando muitos selfies, falando muito de sexo, são muito exibidos, tiram fotos se mostrando, etc. etc.
Nós não reconhecemos tudo isso como sendo crítico/julgamento, mas é. Então, quando nós estamos fazendo isso, vamos usá-lo como um sino de plena consciência.

Aqui está o que você pode fazer quando a campainha soar na sua mente:


  • Procure compreender. Em vez de ter uma opinião instantânea sobre alguém, desafie-se a ser curioso desta vez. Veja se você consegue compreender a pessoa ao invés de pensar que ela está errada. Se estamos julgando alguém, não estamos tentando entende-los. Nós temos uma falta de conhecimento do que está acontecendo com a pessoa, e consequentemente do porque estamos sendo críticos.

  • Pergunte-se, - o que eu faria nesta mesma situação? Tente explicar o comportamento da outra pessoa como se você estivesse no lugar dela. 

Há uma explicação que faz a outra pessoa parecer imprudente, ignorante, errada, porém há aquela que assume que a outra pessoa tem bom coração e boas intenções. Isso nem sempre é fácil, mas se alguém está fazendo algo irritante, podemos assumir que eles estão apenas tentando ser felizes. Quando alguém ataca ou repele você, ele(a) pode estar passando por medo. Podemos assumir que esse medo significa que ele(a) quer proteger seu tenso coração. Imagine que uma garota é fria demais, você pode julga-lá como insensível ou orgulhosa; mas pouco sabe o que aconteceu no passado dela. Há sempre uma maneira boa para explicar uma ação, mesmo que nós pensemos como mal. Não temos que tolerar a ação obrigatoriamente, mas podemos ver o coração terno (o afeto, a suavidade), que se encontra por baixo.


  • Lembre-se como é passar por essa dificuldade. Nós todos experimentamos o medo, a frustração, a ansiedade, a incerteza; fugindo sempre do desconforto. Se vemos o bom coração, a intenção por trás da ação, podemos ver a dificuldade que está se passando com essa intenção. E podemos lembrar como é ter uma dificuldade semelhante.

Uma vez que começamos a compreender a pessoa e suas ações, consulte o bom coração por trás das ações, crie empatia com a dificuldade ... agora podemos começar a oferecer compaixão.

Um método simples de Compaixão.
Se você pode simpatizar com as dificuldades da outra pessoa, então você pode oferecer-lhes compaixão:

  1. Se eles estão sofrendo dor ou estresse, você pode simplesmente desejar um fim a essa dor ou stress.
  2. Você também pode desejar que eles sejam felizes.
  3. Você pode até mesmo enviar o amor do seu coração para o deles.
Você apenas precisa mostrar que eles são compreendidos, que eles tem em quem se apoiar, alguém que não está ali para criticar, mas para ouvir e cuidar.

Descobri que o mais alto grau de paz interior decorre da prática do amor e da compaixão. Quanto mais nos importamos com a felicidade de nossos semelhantes, maior o nosso próprio bem-estar. Ao cultivarmos um sentimento profundo e carinhoso pelos outros, passamos automaticamente para um estado de serenidade. Esta é a principal fonte da felicidade.
Dalai Lama

Um guia rápido de partida, se você está lutando para startar


Para quem não conhece o termo Startar, significa dar start ou iniciar. Usamos muito na tecnologia e informatica. Agora voltando ao assunto. Eu conheço um monte de pessoas que caem em uma recessão, ou prisão, que as levam a perder alguns hábito como de exercitar-se. Acabam procrastinando com o trabalho ou estudos, entram em uma dieta ruim,  e geralmente não se sentem motivados.

É difícil sair de uma queda como essa.

É difícil para começar de novo,  quando todas as forças da inércia estão contra você.

Veja como começar, em apenas algumas etapas fáceis.

  1. Escolher uma coisa . Escolher apenas uma mudança. As pessoas que querem mudar suas vidas normalmente querem mudar tudo de uma vez. Mas, acredite em mim, uma mudança é suficiente para agora: ir para uma curta caminhada, fazer algumas flexões, coma uma fruta no café da manhã, faça um diário de 5 frases todas as manhãs. Não todos estes, basta escolher um! Escolher outra para o próximo mês.
  2. Enviar a um amigo um e-mail . Apenas um rápido e-mail, pedindo ajuda. Diga-lhes que você está caindo, mas você vai fazer uma alteração. Peça-lhes para mantê-lo responsável - se você não fizer o que você prometer todos os dias durante um mês, você deve a eles algo grande (ou embaraçoso), eu costumo pagar uma rodada de lanche, e meus amigos não costumam comer pouco, ou seja, pesa no bolço hehe.. Torne isso algo poderoso, então você definitivamente não vai permitir-se a falhar.
  3. Prometer fazer algo ridiculamente fácil . Diga ao seu amigo que você vai fazer alguma coisa todos os dias - mas algo super fácil. Mais uma vez, ir para uma caminhada de 5 minutos. Fazer apenas alguns flexões todas as manhãs. Faça um diário de apenas 5 frases a cada dia. O mais fácil é melhor. Você vai perceber que é tão fácil que você não conseguirá dizer não.
  4. Criar lembretes imperdíveis . Coloque um enorme sinal de algum lugar que você não vai perdê-lo. Lembretes no seu e-mail, calendário, telefone, no carro... Pergunte às pessoas ao seu redor para lembrá-lo. Colocar uma faixa de borracha em torno de seu pulso. Não se deixe esquecer!
  5. Construir a confiança com um único passo . Todos os dias, você só precisa dar um passo. Basta escrever uma frase em seu diário. Basta fazer uma flexão ou pose da ioga. Basta ler apenas uma pagina do livro, ou o resumo de um capitulo do livro. Quando você dar esse passo, fazê-lo conscientemente e com gratidão e alegria. Sorria! Aproveite essa pequena vitória. Com este passo, você está construindo confiança em si mesmo. Quando você se vê querer colocá-lo fora, fazer uma pausa. Respirar. Ficar com o desejo de fugir, mas não se deixe correr. Sorrir, e fazer o hábito de qualquer maneira.

Com cada passo, você vai se sentir melhor. Quando terminar essa etapa, tome a próxima. Você vai confiar em si mesmo mais e mais, e, eventualmente, você vai ser capaz de adicionar um outro pequeno hábito, depois outro no mês seguinte. E logo você estará a todo vapor, feliz, você está se movendo em uma boa direção, sorrindo com gratidão com todas as coisas boas que você está fazendo para si mesmo.